You are currently viewing A relação entre gestão de RH e produtividade nas empresas

A relação entre gestão de RH e produtividade nas empresas

O papel do RH dentro das empresas tem mudado nos últimos tempos e isso deve ser ainda mais evidente em negócios de tecnologia, porque é justamente ela que está por trás de tudo.

O chamado RH 4.0 consiste em uma nova abordagem do setor de Recursos Humanos que pressupõe o uso da tecnologia para automatizar processos operacionais, permitindo que os profissionais tenham mais tempo hábil para focar em atividades estratégicas que ajudem a aumentar a produtividade dos colaboradores. Veja, a seguir, três exemplos da relação entre RH (especialmente dentro dessa nova perspectiva) e produtividade.

Programas de capacitação

Uma das atribuições do RH é planejar treinamentos e programas de capacitação para os colaboradores. Isso pode ser feito tanto para desenvolver habilidades específicas necessárias a cada departamento quanto para aprimorar aptidões mais gerais, como liderança, trabalho em equipe, engajamento com a empresa e outras.

Seja como for, quando o RH fornece as ferramentas necessárias para que os demais colaboradores desenvolvam as suas competências, o aumento da produtividade é uma consequência lógica.

Nesses treinamentos, as equipes têm a oportunidade de aprender técnicas mais novas e eficientes para executar suas funções, além de se sentirem mais motivadas. Se a pessoa que vai conduzir a experiência for bem escolhida, ela ainda poderá revigorar a plateia e trazer aquela injeção de ânimo necessária.

Em empresas de tecnologia, a busca por capacitação deve ser constante, visto que as mudanças e inovações do próprio segmento acontecem de forma rápida. Os profissionais precisam estar sempre atualizados.

Detecção de falhas internas

Outra missão do RH, que está diretamente relacionada com a produtividade, é a detecção de falhas em processos internos. Esses profissionais precisam fazer um mapeamento de todos os departamentos, para identificar em que local está acontecendo retrabalho; colaboradores que têm um índice de faltas muito grande; e sistemas que estão consumindo muito tempo sem entregar benefícios à altura.

É praticamente uma varredura por toda a empresa para verificar o que pode ser melhorado e, assim, trazer mais eficiência. Além disso, os responsáveis pelo RH também são os mais indicados para dar feedback aos colaboradores, apontar como cada um pode melhorar individualmente, corrigir suas próprias falhas e acompanhar se estão de fato se dedicando nesse sentido.

Gestão de benefícios

Não basta que a empresa pague um salário coerente para os seus colaboradores, é preciso ir além. Ao oferecer benefícios, o empreendedor mostra que valoriza a sua equipe, cria um ambiente corporativo mais agradável e, com isso, atrai e retém talentos. A gestão desses benefícios também é uma tarefa do RH.

É preciso pesquisar quais benefícios são mais viáveis e possíveis parceiros para implementá-los de modo que tanto os colaboradores quanto a empresa possam colher alguma vantagem.

A ideia é observar essas tarefas com um olhar estratégico. Por exemplo: dependendo do benefício, a empresa consegue deduzir do Imposto de Renda, é o caso do PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador), criado pelo MTE.

Quer saber como aderir ao PAT e quais são as vantagens que ele vai garantir para a sua empresa? Entre em contato e peça uma simulação. Descubra a economia que você pode ter ao adotá-lo!