Para muitas organizações oferecer alimentação na empresa pode ser uma boa saída para garantir uma alimentação equilibrada e de acordo com as necessidades da instituição. Porém, se você está pensando em implementar essa atividade, é importante ter algumas questões em mente.

Em quais aspectos é necessário se atentar antes de investir nisso e como é, de fato, disponibilizar alimentação dentro da companhia? Será que é mais vantajoso do que oferecer cartão de alimentação ou refeição? Eu vou explicar as questões mais importantes a respeito desse assunto. Continue a leitura e fique por dentro!

Como funciona a alimentação na empresa?

Antes de implementar a alimentação nas empresas, as organizações devem atentar-se às normas do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), que hoje pertence à Secretaria do Trabalho, vinculada ao Ministério da Economia. O programa tem o objetivo de promover a qualidade da alimentação do trabalhador, seja dentro ou fora da instituição.

O Decreto nº5, de 14 de janeiro de 1991, regulamenta o PAT e define que as empresas podem deduzir do seu Imposto de Renda valor equivalente à aplicação da alíquota sobre a soma das despesas de custeio realizadas no período-base.

Quais são as regras?

O PAT determina a obrigatoriedade da contratação de nutricionistas — quando a própria empresa produzir as refeições — ou, no caso de contratação de empresas terceirizadas, que elas sejam cadastradas no programa.

Além disso, é necessário disponibilizar um local próprio nas instalações da companhia para oferecer alimentação, caso a empresa conte com mais de 300 colaboradores. Já quando houver mais de 30 funcionários e menos de 300, devem oferecer conforto para que os colaboradores realizem as refeições em suas dependências.

Quais são as diferenças entre oferecer a alimentação e o cartão?

Afinal, é melhor investir em refeições internas ou oferecer benefícios para os colaboradores almoçarem em outros locais? Listei a seguir as principais diferenças e vantagens de cada formato. Veja só!

Estrutura física

Oferecer a própria alimentação costuma ser vantajoso para grandes empresas, já que é preciso contar com uma estrutura adequada para isso. Porém, quando a organização é menor, garantir o sustento dos funcionários por meio do vale-alimentação ou vale-refeição pode ser a melhor escolha, pois eles almoçarão fora do ambiente corporativo.

Alimentação balanceada

Ter controle sobre a qualidade da alimentação dos colaboradores é uma das vantagens de oferecer alimentação interna, pois o cardápio será montado de acordo com as normas nutricionais. No entanto, se oferecer cartão de alimentação é mais vantajoso para a companhia, uma boa saída é investir em ações de conscientização da melhor saúde.

Custo-benefício

Quando a empresa opta por oferecer alimentação interna, há vários custos envolvidos, e entre eles está a disponibilização de espaços adequados, como vimos acima. Além disso, existe também o custo com empresas parceiras que produzirão o cardápio e farão a distribuição diariamente.

Esse formato é mais oneroso para a organização, pois são muitos outros custos envolvidos, além da refeição em si. No entanto, quando há o vale-alimentação, por exemplo, os custos são reduzidos consideravelmente, pois a única obrigação da empresa será disponibilizar o benefício.

Viu como oferecer alimentação na empresa é interessante, mas que pode ser bastante custoso para a companhia? Oferecer o cartão, além de ser mais econômico, garante aos colaboradores mais autonomia para escolher suas refeições. Saiba que existem empresas especializadas em gerir benefícios, como a Eucard, focada em oferecer mais praticidade e economia para outras empresas.

Tem dúvidas sobre como funciona e quer entender qual é o momento certo para procurar uma parceira para gerir seus benefícios? Então, você não pode perder este artigo!