Uma das situações mais temidas pelos profissionais de RH é ter uma alta rotatividade dentro da empresa. Um turnover elevado pode ser sinal de várias deficiências e gargalos existentes na organização. Mas o que é turnoverexatamente?

Turnover nada mais é do que o índice de saída dos colaboradores de uma companhia. Em outras palavras, significa a taxa de rotatividade e esse indicador pode ser subdividido em voluntário e involuntário.

O voluntário acontece quando o profissional é quem pede demissão; já o involuntário ocorre quando a decisão da saída do funcionário vem da empresa. Mas, apesar das diferenças, ambas as formas impactam em todos os processos organizacionais. Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto!

Quais são as causas mais comuns de um alto turnover ?

Tanto no turnover voluntário quanto no involuntário, normalmente, existem situações de desgaste entre as partes ou contextos diversos em que a demissão é vista como a única solução. Veja as principais causas.

Falta de oportunidades de crescimento

Entre as coisas que mais desmotivam um profissional de alta performance está a falta de oportunidades para alcançar novos patamares. Imagine que você passa meses ou anos em uma mesma função, apenas repetindo as mesmas rotinas, independentemente de estar se especializando em sua área e apresentando melhores resultados.

Além de ser algo frustrante para o funcionário, a empresa também é impactada, pois o colaborador não desempenha suas funções com o mesmo engajamento e, por consequência, se desmotiva e pede demissão. Se esse cenário persistir, há boas chances de que a reputação da empresa como contratante também seja afetada negativamente.

Discordância ou desavenças

Em toda empresa é comum haver conflitos entre as pessoas, mas quando a situação começa a impactar o clima organizacional, o ambiente de trabalho se torna desgastante e uma das partes acaba decidindo pela rescisão. E os colaboradores que ficam tendem a ser menos produtivos, pois também são afetados pelo clima organizacional negativo e prejudicial à saúde mental.

As causas específicas dessas discordâncias podem variar bastante. Algumas são mais razoáveis, sendo associadas a escolhas de gestão e perspectivas diferentes com relação à forma de resolver certos problemas. Porém, pode ser que problemas pessoais se tornem a causa aqui ou então a atitude de certos colaboradores. Ou seja, são casos em que a intervenção da equipe poderia prevenir o turnover.

Condições de trabalho inadequadas

Outra responsabilidade das empresas é promover um ambiente de trabalho saudável, que inclua todas as ferramentas e condições necessárias para o cumprimento das tarefas do dia a dia. Isso inclui móveis ergonômicos, iluminação, climatização e também prazos condizentes com as expectativas estabelecidas. Bons profissionais muito provavelmente poderão trocar de emprego devido a condições melhores.

Queda de produtividade do colaborador

Diversas razões podem causar a baixa produtividade de um funcionário e elas vão desde o enfrentamento de alguma doença até a desmotivação com o trabalho. E quando isso acontece — e o colaborador não responde aos feedbacks — pode ser a hora de avaliar a necessidade de demissão. Esta que pode partir do próprio colaborador ou ser justificada pela empresa.

Redução de custos internos

Essa é a última opção para muitas empresas, mas quando as principais medidas já foram tomadas e não há outra alternativa, a solução para reduzir custos da organização é demitir funcionários. Isso acontece principalmente em companhias que estão enfrentando processos de falência ou grandes prejuízos financeiros.

Esse também pode ser o resultado da falta de planejamento durante o processo de contratação. Se são admitidas mais pessoas do que a organização consegue dar suporte, então, obviamente, algumas delas terão que ser desligadas no futuro.

Se você quer se aprofundar ainda mais sobre Gestão de Pessoas, clique aqui, baixe nosso E-book gratuito e saiba como gerenciar seu time com maestria!

Quais são os tipos de turnover?

É importante entender que nem todo desligamento é levado em conta da mesma forma. Os principais tipos são:

  • voluntário: que ocorre quando o próprio colaborador pede demissão;
  • involuntário: quando a decisão de desligamento parte da empresa;
  • funcional: a escolha parte do colaborador, mas o resultado final é benéfico para a empresa, seja por desavenças ou por baixa produtividade;
  • disfuncional: o colaborador de alto desempenho pede demissão, causando um desfalque grave na produtividade do negócio.

Sendo assim, ao estudar o turnover do seu negócio, você pode classificá-lo de acordo com essas categorias para compreender melhor seus impactos.

Como calcular o turnover da empresa?

O cálculo da taxa geral de turnover da empresa não é tão complicado. A fórmula é a seguinte:

[(AM + DM) / NF] x 100 = Taxa de Turnover

Onde os fatores são:

  • AM: Admissões Mensais
  • DM: Demissões Mensais
  • NF: Número de Funcionários

O resultado final é um valor percentual que indica a fração da equipe que é rotacionada durante o mês.

Vamos esclarecer isso com um exemplo. Digamos que uma empresa tenha 1.000 funcionários. Se forem feitos 50 desligamentos e 20 contratações ao longo de um mês, então sua taxa de turnover é de 7%.

O mais recomendado é manter esse índice abaixo de 5%, mas a média pode variar de acordo com o setor. Para ter uma imagem mais clara, o ideal é consultar o índice de turnover em diferentes empresas. Também é importante acompanhar esse índice a longo prazo.

Como reduzir o turnover da empresa?

Entender as principais causas do turnover é o ponto de partida para entender a fundo quais são os gargalos que contribuem com o aumento da rotatividade e conseguir propor melhorias. Confira dicas para reduzir esse índice:

  • tenha atenção no processo de recrutamento e seleção para contratar talentos adequados. Quando bem estruturado, esse processo impede que a empresa faça contratações erradas e precise demitir pouco tempo depois;
  • ofereça um plano de carreira, pois isso auxilia na busca por crescimento e gera mais motivação dentro da empresa;
  • invista em uma boa comunicação interna, já que ela é um fator essencial para promover a boa convivência e o bem-estar no trabalho;
  • treine os líderes para se relacionarem melhor com as equipes, pois uma liderança eficiente pode oferecer muito mais engajamento e resultados positivos.

Por fim, tenha em mente que não investir em medidas que auxiliem na redução da rotatividade gera vários impactos negativos para as empresas, como prejuízos financeiros, perda de produtividade e de credibilidade no mercado.

Entender o que é turnover e como evitar o alto percentual desse índice ajuda a posicionar a empresa em um patamar melhor, mais saudável para os colaboradores e gestores e mais produtivo para impulsionar os resultados, impedindo a perda de grandes talentos da organização.

Se este artigo te ajudou a entender melhor o turnover e seu impacto na empresa, compartilhe-o em suas redes sociais e informe mais pessoas sobre esses conceitos!