O contrato de trabalho com horário flexível acontece quando o empregador permite que o empregado cumpra sua jornada contratual dentro de um período previamente estabelecido, sem que isso, contudo, signifique um controle rígido quanto ao horário de início e fim do seu turno.

O funcionário deve cumprir sua jornada obedecendo um número de horas diárias de trabalho definidas em contrato, mas não precisa, necessariamente, começar às 08h e terminar às 18h.

Assim, há uma maior liberdade para cada um gerenciar seu tempo de trabalho. Várias empresas estão adotando esse modelo de controle para melhorar a cultura organizacional e diminuir atrasos. Mas as vantagens e os desafios da jornada flexível não param por aí. Acompanhe a leitura para saber se vale a pena investir nesse modelo.

O que as empresas ganham com o horário flexível?

Empregadores podem se beneficiar da jornada flexível em vários aspectos. São eles:

  • redação do absenteísmo: a jornada flexível permite que os funcionários se planejem melhor para evitar faltas e atrasos;
  • economia: a empresa reduz custos com infraestrutura e manutenção do escritório;
  • retenção de talentos: os horários flexíveis são vistos com bons olhos pelos talentos da empresa, diminuindo a taxa de turnover;
  • produtividade: quando bem sucedida, a adoção da jornada flexível contribui para a melhora dos resultados de uma empresa.

O que os funcionários ganham com o horário flexível?

É claro que os benefícios para os empregadores estão relacionados às facilidades do horário flexível para os funcionários. Então, veja quais são elas.

  • ganho de tempo: sabendo que o horário flexível favorece o trabalho remoto, os funcionários passam menos tempo no trânsito e podem aproveitar melhor o dia;
  • redução de custos: quando também há a adoção do home office, os funcionários economizam dinheiro com transporte e alimentação;
  • maior responsabilidade com prazos: o horário flexível reforça a importância de lidar com prazos e respeitar o cumprimento das demandas de trabalho.

Como adotar o contrato de trabalho com horário flexível?

É preciso tomar a decisão sobre a flexibilidade com os horários quando a empresa tiver clareza quanto ao nível de autonomia dos funcionários e ao uso de ferramentas de controle e planejamento para evitar atrasos.

Quando o nível de autonomia de uma equipe é baixo, existe o risco de o horário flexível não render bons resultados para a empresa. Pelo contrário, a falta de preparação para administrar os próprios horários pode gerar uma queda de produtividade.

A empresa também precisa se certificar de que existem medidas para facilitar a compreensão do que deve ser feito por cada um. Ferramentas de comunicação interna, gestão tarefas e processos ajudam a adotar a jornada de trabalho flexível.

O Google Docs, por exemplo, é interessante para a criação e o compartilhamento de documentos de texto, planilhas e apresentações. Mas também existem ferramentas de vídeoconferência, organização de tarefas, comunicação entre membros de uma equipe, controle de ponto etc.

Enfim, o contrato de trabalho flexível é uma possibilidade que vale a pena. É uma decisão que depende de investimentos para viabilizar esse modelo de trabalho e da autonomia dos funcionários para lidar com as novas responsabilidades.

Que tal ajudar outras pessoas a ler o blog da Eucard? Compartilhe este post na sua melhor rede social dizendo como ele esclareceu suas dúvidas sobre horário flexível. Não se esqueça de colocar o link de acesso!