Um assunto que ainda gera diversas dúvidas em profissionais de RH é sobre a questão dos benefícios aos colaboradores durante a pandemia, com a necessidade de implementação do trabalho fora da empresa. Porém, saiba que, diferentemente do que acontece com o vale-transporte, quem trabalha home office tem direito a vale-refeição.

Isso acontece porque, quem trabalha em casa, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho, conta com os mesmos direitos e benefícios de quem trabalha de forma presencial na organização.

Já no caso do vale-transporte, não há a obrigatoriedade de concessão pelo fato de não haver deslocamento até a empresa. Mas alguns detalhes mudam de acordo com a convenção coletiva. Continue a leitura para entender as principais informações a respeito do assunto.

O que diz a lei sobre o vale-refeição em casos de home office?

O teletrabalho e o home office já estão previstos na legislação brasileira pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Embora esse último formato de trabalho não esteja descrito dessa forma na lei, especialistas interpretam que os direitos são os mesmos designados para o “teletrabalho”.

Inclusive, o home office é um modelo de trabalho que tem ganhado força nos últimos tempos, sendo vantajoso para muitas empresas e colaboradores, além de ser considerado um modelo de trabalho legal.

Sendo assim, a empresa deve oferecer os mesmos benefícios que são ofertados presencialmente. Porém, é preciso observar a convenção coletiva da categoria para propor benefícios de acordo com a legislação específica.

Quais medidas complementares podem ser adotadas nesse momento?

Se a sua empresa oferece benefícios corporativos aos colaboradores, tenha em mente que é possível ajustá-los de acordo com as necessidades do time e da empresa. Para compreender as formas de adaptação possíveis — sem abrir mão de recursos tão importantes aos trabalhadores nesse momento —, entenda como funciona cada serviço.

O vale-refeição é um benefício que funciona bem para organizações que não oferecem refeitório para que as pessoas possam se alimentar na empresa e, principalmente, que contam com um grande time que exerce as atividades dentro da companhia.

Sendo assim, ele é aceito em restaurantes, lanchonetes, padarias e outros estabelecimentos que oferecem alimentação para ser consumida de forma rápida, durante o horário de almoço.

Já o vale-alimentação é voltado para uso em supermercados, açougues, mercearias e sacolões, sendo o mais indicado para as organizações que oferecem refeitório para que os colaboradores levem sua própria comida.

Portanto, essa pode ser uma alternativa mais interessante para os funcionários, pois eles poderão aproveitar o benefício e se alimentar em casa durante o trabalho remoto ou home office durante a pandemia. Por isso, investir em benefícios flexíveis é uma boa medida para as empresas adaptarem com facilidade o auxílio nesse momento.

Para finalizar, tenha em mente que também é possível incrementar a carteira de benefícios da companhia. Isso, inclusive, é uma ótima forma de manter o engajamento dos trabalhadores, já que agora estão mais distantes e o espírito de equipe pode não estar em alta pelo fato de o trabalho ser desenvolvido de forma isolada.

A exemplo disso, que tal oferecer vantagens como incentivo à cultura, bolsas de estudo, premiações e até plano de saúde, um dos benefícios mais valorizados pelos trabalhadores e que tem ganhando ainda mais importância após a pandemia da covid-19? Agora que você já sabe que home office tem direito a vale-refeição, o que acha de ir além?

Interessou-se pelas vantagens que uma boa carteira de benefícios pode oferecer aos colaboradores? Venha falar com a Eucard e entender como a sua empresa pode se tornar ainda mais relevante para o time!