You are currently viewing Como ajustar seu negócio para se adaptar à pandemia?

Como ajustar seu negócio para se adaptar à pandemia?

Com a pandemia da COVID-19, muitas empresas tiveram que repensar suas práticas de produção, venda e distribuição de produtos, bem como suas estratégias. Tendo em vista as profundas mudanças socioeconômicas, não fazia sentido manter as coisas como antes.

Mais precisamente, conforme relatório da FGV e do SEBRAE, ao longo da pandemia, 85% dos negócios redefiniram sua maneira de operar. E mais, 66% dos empresários revelaram o decréscimo do volume de vendas, bem como das receitas financeiras do exercício.

A questão é: para superar a pandemia e melhorar os resultados, quais ajustes precisam ser feitos e como colocá-los em prática, exatamente? A resposta exige um olhar mais profundo para seu modelo de negócio, além de uma melhor compreensão dos pilares da adaptação.

Neste artigo, ganho profundidade no tema. Explico como ajustar seu empreendimento para se adaptar à pandemia e otimizar seus ganhos. Continue atentamente com a leitura.

O que houve com a economia durante a pandemia?

A crise ligada à COVID-19 mudou rápida e profundamente a economia global, tornando crucial a adoção de novas medidas de trabalho. Negócios que insistiram em velhas práticas tiveram problemas para continuar (e muitos provavelmente encerraram suas operações).

No entanto, quais foram as principais mudanças na economia? Como elas influenciam as empresas e a vida dos consumidores finais? É o que explico, no decorrer deste tópico.

Medidas de lockdown e as interações sociais

Medidas de isolamento e lockdown fizeram com que as pessoas tivessem menos interações presenciais e mais relações digitais, moldando suas rotinas aos softwares e aplicativos.

Um exemplo disso está nas reuniões de trabalho, que passaram a ser feitas com sistemas de comunicação por vídeo (como o Google Meet, o Zoom e o Skype). Isso também se estendeu à esfera pessoal, com famílias utilizando mais sistemas remotos de comunicação, sobretudo as redes sociais (Facebook e Instagram) e aplicativos mobile, como o WhatsApp.

Oferta, demanda de mercado e preço de equilíbrio

Outra grande mudança está no nível de demanda de mercado. Ao longo da pandemia, enquanto, alguns bens e serviços foram colocados em segundo plano, outros passaram a ser altamente demandados, é o caso do álcool em gel e da máscara de algodão, entre outros.

Esses ajustes em termos de demanda influenciaram tanto os preços dos produtos quanto seu nível de oferta de mercado, também resultaram em melhores margens e mais ganhos às empresas bem-posicionadas. Alguns produtos, porém, tiveram uma queda significativa na demanda, sobretudo nos tempos mais graves de pandemia, o que exigiu uma ótima gestão.

Transformação digital e conectividade

Uma terceira mudança está na digitalização, isto é, na forma como as pessoas e empresas utilizam as tecnologias ao longo do dia a dia. Com a pandemia, o uso de aplicativos mobile, softwares e websites tornou-se bem mais comum, dadas as restrições sociais.

Em poucos dias, empresas tiveram que encontrar alternativas para oferecer e vender seus produtos por meios digitais, bem como fazê-los chegar até o cliente final. Os consumidores, por sua vez, tiveram que repensar seus hábitos e encontrar tecnologias que melhorassem sua conexão com as empresas, permitindo melhor acesso aos bens e serviços desejados.

Quais foram as principais mudanças nos modelos de negócio?

As mudanças em nível econômico promovem ajustes subsequentes, especificamente na forma como as empresas criam, entregam e captam valor no mercado — o que é chamado de modelo de negócio. Em outros termos, as empresas precisam repensar sua estrutura.

Em meio à crise, os negócios tiveram que modelar seus processos e posicionamento, além de reconfigurar os pontos de contato com os clientes. Explico as mudanças logo abaixo.

Novos canais de relacionamento com o cliente

Uma primeira mudança está nos canais de relacionamento. Muitas organizações foram impedidas (ainda que temporariamente) de se relacionar de modo físico com os clientes, o que exigiu criatividade e modernização.

Tornou-se preciso investir em plataformas digitais de venda (e-commerce), redes sociais e meios online de atendimento, entre outras coisas.

Modernos modais para entrega dos produtos

Os modelos de negócio também ajustaram seus modais de entrega, optando por meios que promovessem mais segurança aos consumidores, bem como agilidade e comodidade. Nesse aspecto, as entregas em domicílio (delivery) cresceram significativamente, assim como o uso de tecnologias de controle logístico. Assim, foi possível vender e atender bem aos clientes.

Reformulação da estrutura de custos

Outra mudança está na estrutura de custos. Como muitas organizações tiveram que fechar suas portas físicas, seus principais custos migraram para o digital. Por exemplo, para pagar anúncios em redes sociais, adotar novas tecnologias, enviar seus produtos para plataformas digitais ou subir suas informações para nuvem. Logo, os tipos de custos mudaram bastante.

Redefinição dos objetivos e estratégias

Em grande medida, a estratégia organizacional depende da relação entre empresa e seu mercado. Portanto, se o mercado muda, a estratégia precisa mudar para acompanhar a nova realidade. Foi o que aconteceu. Negócios precisam repensar seus objetivos de longo prazo, metas de médio prazo e planejamento estratégico, tendo em vista as novas regras do “jogo”.

Posicionamento digital

Em suma, pense no posicionamento como a forma que a empresa se coloca na mente e no coração dos clientes, tendo por intuito ser lembrada e iniciar uma longa (e rentável) relação. Com a pandemia e os ajustes econômicos, as organizações precisaram encontrar formas de se posicionar digitalmente, utilizando-se de meios digitais para se conectar aos clientes.

Quais os pilares para se adaptar à pandemia?

Adaptar o negócio à pandemia pode até não ser tarefa fácil, contudo, é algo perfeitamente possível, inclusive aos negócios menores e mais jovens. Torna-se necessário, porém, pensar e trabalhar alguns pilares, como a gestão das mudanças e a administração das pessoas.

Na medida que tais pilares são diagnosticados e ajustados à realidade da empresa, fica mais fácil construir um negócio saudável, competitivo e longevo. Veja, agora, os pilares.

Gestão da mudança

A pandemia foi acompanhada de muitas mudanças. Tornou-se, por exemplo, necessário repensar as rotinas de trabalho e o acesso às informações, entre muitas outras coisas. Por esse motivo, a gestão da mudança é um pilar que não pode ser esquecido ou ignorado.

Pense na gestão de mudanças como um conjunto de práticas para antecipar mudanças, reorganizar os recursos disponíveis, orientar as equipes e modelar o negócio, de modo que ele se torne mais competitivo e resistente que antes. Assim, os benefícios são múltiplos.

Gestão de recursos humanos

Outro pilar é a gestão de RH na pandemia. Os funcionários representam uma condição necessária para o funcionamento das empresas e sucesso nos negócios. Logo, sem talentos devidamente alinhados e comprometidos, uma empresa não consegue se perpetuar.

Na prática, a gestão de recursos humanos é composta por uma série de atividades, como a atração e retenção de talentos, além do treinamento e alinhamento das equipes. É preciso identificar as melhores práticas para o seu negócio e depois adotá-las cuidadosamente.

Relacionamento com clientes

O relacionamento com o cliente é, sem qualquer dúvida, outro grande pilar. Na ausência dos clientes, as várias outras atividades da empresa (como planejar, desenvolver e distribuir produtos) perdem o sentido. Em vista disso, é essencial nutrir um bom relacionamento.

Na pandemia, o relacionamento com o cliente gera mais previsibilidade na geração de caixa, permitindo que a empresa tenha receitas recorrentes. Além disso, gera criatividade e aumenta o foco, garantindo que os recursos sejam aplicados onde realmente importam.

Gestão tecnológica

Para se ajustar às novas condições do mercado, poucas coisas são tão críticas quanto a transformação digital. Por isso, a gestão tecnológica constitui um quarto pilar às empresas que querem se adaptar ao cenário da COVID-19 e aumentar seu grau de competitividade.

Na prática, a gestão tecnológica refere-se a um conjunto de medidas para integrar as ferramentas digitais certas, bem como disseminá-las entre os funcionários e outras partes interessadas (sem deixar de lado aspectos como privacidade e segurança da informação).

Como se ajustar à pandemia, afinal?

Até aqui, você já entendeu como a pandemia impactou o mercado, modelou os negócios e determinou o trabalho em alguns pilares. Agora, é hora de compreender como efetivamente ajustar seu negócio, garantindo o alcance de resultados superiores à média do mercado.

Os ajustes devem ser feitos em vista dos pilares — gestão de mudanças, recursos humanos, clientes e tecnologia — já mencionados. Continue sua leitura e entenda o que fazer.

Invista na correta gestão de pessoas

Em primeiro lugar, é importante investir em quem está com você ao longo de toda a jornada de trabalho: seus funcionários. Encontre meios para reter os bons profissionais, estimular equipes de alta performance e também melhorar o clima organizacional.

Neste aspecto, muitas coisas podem ser feitas. Selecionar e fornecer benefícios adicionais, como o vale-alimentação ou o vale-refeição, pode gerar entusiasmo e bem-estar. Também é preciso investir em programas de capacitação, garantindo um time bem qualificado.

Adote tecnologias que melhorem seu trabalho

Outra prática é encontrar tecnologias que tornem seu negócio mais digital, conectado e competitivo. Que tipo de tecnologia, afinal? Depende. É preciso olhar para a realidade do seu empreendimento, assim como para as tecnologias que já tem disponíveis.

O uso de sistemas gerenciais (ERP), plataformas eletrônicas comerciais (e-commerces) e redes sociais podem representar um ótimo início. A ideia central é encontrar e adotar as tecnologias que facilitem as rotinas ou melhorem a conexão com os clientes.

Identifique as mudanças prioritárias

As empresas precisam mudar em muitos aspectos, objetivando fortalecer suas rotinas e melhorar seus resultados. Porém, é impossível mudar todas as coisas ao mesmo tempo — o ideal é entender o que é prioridade e trabalhar nisso. Portanto, dedique-se a entender quais são as mudanças-chave e como realizá-las, depois, coloque a “mão na massa” com a equipe.

Crie vantagens para seus clientes

Construir um relacionamento com o cliente não depende apenas de boa vontade. É preciso ir mais fundo e fornecer vantagens reais aos seus consumidores, de modo que eles decidam comprar em sua empresa em vez de migrar para a concorrência.

Para criar vantagens, é preciso olhar para o seu perfil de clientes. Uma ótima iniciativa é fornecer maiores prazos de pagamento e melhores alternativas para quitação das compras, além de condições mais agradáveis para entrega (logística) dos produtos comprados.

Lembre-se de melhorar continuamente

Outra importante prática está ligada ao aprendizado contínuo, de modo que sua empresa encontre melhores formas de fazer o que deve ser feito. Na prática, a melhoria baseia-se em etapas de planejamento, execução e controle dos resultados, seguido de aprendizado com base nos erros e acertos. Assim, sua empresa pode se ajustar aos diversos cenários competitivos.

Como fazer isso na prática? Inspire nestes casos de sucesso

Lidar com a pandemia da COVID-19 e reforçar seu negócio depende de melhorias pontuais, como no relacionamento com clientes ou aprendizado contínuo. Mas será que as empresas estão fazendo isso, na prática? Existem casos de sucesso que podem servir de exemplo?

Para ambas as questões, a resposta é “sim”. É possível se inspirar em várias empresas, tirar poderosas lições e depois adotá-las em seu empreendimento. Apresento dois casos, agora.

Bar dos Amigos

Um primeiro caso é o Bar dos Amigos, em Minas Gerais. O negócio teve muita dificuldade de preservar seu modelo inicial, visto que medidas de lockdown inibiram a aglomeração de pessoas. A solução: repensar o empreendimento e levar o bar até os consumidores.

O Bar dos Amigos desenvolveu soluções de entrega em domicílio (delivery), reorganizou seu cardápio e incrementou o almoço executivo, aumentando suas receitas com consumidores que almoçam no trabalho (empresa ou home office).

Além disso, reforçou seu marketing ao iniciar campanhas nas redes sociais, criar parcerias com influenciadores digitais e melhorar o posicionamento digital dos seus produtos. Desse modo, além de obter novas receitas, o Bar dos Amigos conseguiu manter as portas abertas.

Loja Tcharme

Outro caso de sucesso é da Tcharme, loja de roupas localizada na Paraíba. Com o início da pandemia, a loja passou por sérios desafios, como as mudanças em tendência de consumo (moda), pouca previsibilidade na geração de caixa e dificuldade de relação com clientes.

Para lidar com a situação, foi crucial fazer uma boa gestão das mudanças. Primeiro, ao repensar o planejamento estratégico e reformular o mix de produtos, aproveitando roupas casuais que atendessem melhor aos clientes. Segundo, utilizando melhor as redes sociais para anunciar roupas e vender. Terceiro, ao aumentar a capacitação e motivação da equipe.

Eucard

Um terceiro caso de sucesso vem da própria Eucard. Na pandemia, a empresa de cartões de benefícios compreendeu que uma grande contribuição para superar essa fase delicada seria desenvolver formas de ajudar seus clientes e sociedade. Algumas das medidas foram:

  • flexibilização de taxas e prazos de pagamento do cartão Eucard durante os períodos mais críticos da pandemia, de modo a gerar fôlego financeiro aos seus clientes;
  • aderência à campanha nacional “compre do pequeno”, incentivando os portadores do cartão Eucard a comprar nos estabelecimentos de bairro e girar a economia local;
  • adoção de programa de doação por meio dos cartões de alimentação da Eucard, de modo a fornecer alimentos e itens básicos às pessoas mais afetadas pela crise.

Nesse sentido, no decorrer da pandemia, a Eucard conseguiu criar e entregar soluções capazes de beneficiar algumas das partes mais fragilizadas pela COVID-19. Assim, além de gerar oportunidades para quem perdeu, a empresa conseguiu cumprir com seu propósito.

Veja, agora você está por dentro do assunto, sabe quais foram as principais mudanças ligadas à pandemia da COVID-19 e como adaptar sua empresa a esta nova realidade. Tenha sempre em mente que é preciso pensar de modo estratégico, lidar com a situação e analisar seus recursos disponíveis. Assim, conseguirá alcançar resultados verdadeiramente grandes.

Gostou do nosso artigo? Quer saber mais sobre como lidar com os desafios impostos pela pandemia da COVID-19, além de motivar seus funcionários e times de trabalho? Aproveite, então, para entrar em contato conosco e conhecer as soluções que separamos para você.