Guia completo para fazer pesquisa de satisfação interna na empresa

Guia completo para fazer pesquisa de satisfação interna na empresa

Já se deparou com aquelas listas e planilhas que circulam pela internet nas quais os colaboradores desabafam, de forma anônima, sobre a sua vivência nas empresas? Se não, saiba que algumas são intermináveis. Porém, elas poderiam ser menores e muitas empresas não estariam ali se realizassem a pesquisa de satisfação interna.

Ainda que essas listas também relatem pontos positivos, você já deve imaginar que a maioria se refere a comentários negativos: remuneração e benefícios ruins, excesso de demandas para o mesmo colaborador, falta de oportunidades, liderança tóxica e outros.

Muitas organizações se assustam ao lerem os relatos, mas uma pergunta eu faço a você: por que esperar a empresa ser mencionada negativamente para, a partir disso, identificar os gargalos que existem nela? A pesquisa de clima está aí para isso! Vou te mostrar como ela é poderosa e como o RH pode aplicá-la de forma estratégica. Boa leitura!

O que é a pesquisa de satisfação interna

A pesquisa de satisfação interna, também conhecida como pesquisa de clima, é uma ferramenta utilizada pelas organizações para identificar o nível de contentamento dos colaboradores com a empresa, seja em relação aos processos, à liderança, à oferta de qualidade de vida no trabalho — ou a falta dela — por meio da opinião dessas pessoas.

Essa é uma estratégia muito eficiente para entender a realidade do negócio a fundo a partir dos questionamentos de quem trabalha nele e, a partir disso, propor melhorias que beneficiarão os colaboradores e a própria organização.

Como funciona esse tipo de pesquisa

A pesquisa de clima é realizada, basicamente, com a aplicação de questionários sobre a vivência organizacional. No entanto, ela pode ser realizada online ou por meio de fichas impressas nas quais o colaborador responde às perguntas e pode fazer apontamentos de forma anônima.

Por isso, vale ressaltar que não existe um método de aplicação certo ou errado e sim aquele que melhor se encaixa na realidade da empresa. O principal objetivo aqui é diagnosticar a saúde do negócio, principalmente em questões que não são facilmente reveladas, e utilizar as informações para melhorar o ambiente de trabalho e os processos corporativos.

Por que é importante aplicar a pesquisa de satisfação no trabalho

Realizar a pesquisa de clima é um processo que exige tempo e dedicação do setor de Recursos Humanos, porém, ela é vantajosa por diversos motivos, pois:

  1. ajuda a identificar problemas existentes na empresa, principalmente aqueles que ninguém tem coragem de falar abertamente por medo de impactar o clima organizacional ou de se prejudicar de alguma forma;
  2. identifica a necessidade de treinamentos e desenvolvimentos dos colaboradores, pois, como ela é feita de forma sigilosa, podem surgir respostas indicando essa carência na empresa;
  3. melhora a oferta de salários e benefícios aos colaboradores, pois, a partir do que é dito nas pesquisas, é possível identificar as necessidades e desejos dos funcionários, como a preferência por determinados serviços, como os benefícios flexíveis, entre outros;
  4. auxilia na retenção de talentos e na consequente redução do turnover da empresa, pois, ao entender os anseios dos colaboradores a partir das pesquisas, é possível elaborar estratégias para motivar e manter essas pessoas no time.

Qual o melhor momento para aplicar

Nas situações em que for solicitado ao RH a tarefa de realizar uma pesquisa de satisfação interna, é preciso avaliar se aquele é realmente o melhor momento para aplicar a pesquisa com os colaboradores. Saiba que a escolha da ocasião certa para fazer esse tipo de atividade é uma das etapas mais importantes para o sucesso (ou o fracasso) da pesquisa.

Imagine as situações em que o clima organizacional está mais agradável que o habitual, como as épocas festivas, comemorações de final de ano, o período de recebimento de premiações, entre outros.

Certamente, o grau de felicidade ou de satisfação entre os colaboradores estará mais elevado que o normal e, com isso, os resultados apontados pela pesquisa poderão não refletir a realidade da organização.

O contrário também é válido: momentos em que os ânimos estão negativamente exaltados não são indicados para a realização de pesquisas de clima. Exemplos de situações assim são quando um colaborador tem um desligamento conturbado — o que acaba contagiando os colegas — e quando os salários são atrasados por algum motivo.

Por isso, deixe passar os períodos atípicos e que causam fortes emoções e aguarde a volta de um clima mais ameno e habitual. Isso ajudará na coleta de resultados mais verdadeiros e coerentes com o que os colaboradores realmente sentem no dia a dia.

Como colocar a pesquisa em prática – 7 passos fundamentais

A pesquisa de clima é tão importante para o sucesso da organização que selecionamos sete passos de extrema importância para você entender como criar, aplicar e fazer a análise dos resultados obtidos a partir da avaliação.

Afinal, o planejamento e a execução da pesquisa serão em vão se a empresa não utilizar os dados a favor de melhorias internas, principalmente no que diz respeito às atividades de gestão de RH e produtividade dos colaboradores.

1. Entenda o motivo de realização da pesquisa

O primeiro passo é entender o porquê do questionário: é para identificar o nível de satisfação de toda a empresa ou apenas de um setor cuja rotatividade está alta? É para melhorar as bonificações, os salários e benefícios? Todas essas questões devem ser avaliadas para elaborar pesquisas mais eficientes e coerentes.

2. Faça um planejamento estratégico antes de aplicá-la

Uma pesquisa de satisfação interna não pode ser aplicada a esmo, sem estratégia e sem um entendimento do que se deseja apurar com essa ferramenta. Por isso é que eu disse anteriormente que a escolha do momento certo para aplicá-la faz toda a diferença nos resultados.

Porém, só será possível fazer um planejamento eficiente e focado em responder às questões que o RH realmente precisa saber se o setor souber atuar estrategicamente, com foco nas necessidades da empresa.

Para isso, é preciso conhecer o negócio a fundo, ter completo conhecimento das metas que a organização pretende alcançar a curto, médio e longo prazos, além de participar dos demais planejamentos que envolvem o trabalho dos colaboradores, ou seja: a maioria deles, pois são os trabalhadores que fazem o negócio acontecer.

No planejamento devem ser analisadas as seguintes questões:

  • quais perguntas serão feitas?
  • Como essas perguntas serão feitas?
  • Quais perguntas evitar?
  • Será utilizada uma escala de perguntas? Qual?
  • A empresa está preparada para receber todo e qualquer tipo de resposta?
  • Haverá um campo para receber sugestões e feedbacks dos colaboradores?
  • Em quais setores a pesquisa será realizada?
  • Perguntas do tipo A ou B são as mais indicadas nesse momento?

3. Elabore uma pesquisa clara, objetiva e de fácil comunicação

O ideal é que a pesquisa não seja composta de perguntas complexas ou que deixem os colaboradores em dúvida sobre o que realmente está sendo questionado. Tenha em mente que fazer perguntas de maneira simples e direta é a melhor forma de se comunicar com os profissionais.

É importante também não encher os colaboradores de perguntas que não agregarão valor à pesquisa. Pense: tanto os funcionários quanto o RH estão dedicando uma parte do seu tempo para realizar e responder à pesquisa, por isso, seja objetivo e foque nas questões das quais realmente deseja obter respostas.

Por fim, saiba que é indicado deixar um campo para que o colaborador relate algo de forma livre. É importante que o time sinta-se livre nesse momento para contribuir de forma espontânea. Entenda que podem surgir sugestões, críticas, feedbacks, perguntas, entre outros.

4. Oriente os colaboradores sobre a aplicação e o objetivo da pesquisa de clima

Antes de aplicar essa ferramenta, é preciso que os colaboradores entendam, de fato, o que é uma pesquisa de satisfação interna, como será a sua participação, por que ela é aplicada pelo RH, quais são os desdobramentos da pesquisa e de que forma a contribuição de cada um será relevante.

Outro ponto essencial para o conhecimento dos profissionais é entender que a pesquisa de satisfação interna é sigilosa, pois isso estimulará a participação e liberdade de expressão. Muitas pessoas ficam receosas ao responder uma avaliação desse tipo, pois têm medo de que suas opiniões sejam vazadas e isso as prejudique profissionalmente.

Por isso, reforce a todos que é prática do RH manter a confidencialidade das informações recebidas por eles. Também vale ressaltar aos times que o objetivo da pesquisa é identificar os gargalos existentes na empresa e propor ações de melhorias para os próprios colaboradores.

5. Aplique a pesquisa para todos os funcionários ao mesmo tempo

É muito importante que todos os colaboradores da empresa participem da pesquisa de clima ao mesmo tempo, pois isso evita a intervenção ou influência dos colegas na hora de responder, caso um já tenha participado e comente com o outro sobre a atividade.

Por isso, reserve um momento específico para que a avaliação seja aplicada de uma só vez; isso contribui para que o departamento de Recursos Humanos receba respostas mais fluidas, livres e sinceras.

6. Faça um compilado das informações e analise os resultados

Se a sua empresa for de médio ou grande porte, é bem provável que, ao final do processo, o setor receba muitas informações e isso crie certo receio na hora de reunir todos os dados recebidos por meio da pesquisa.

Porém, não negligencie a importância de fazer um compilado e, de preferência, agrupar todas as respostas em um só lugar. Essa é uma tarefa que exigirá tempo, cuidado e organização por parte do setor, mas, ao final, você verá que o esforço trará diversos benefícios.

Uma boa medida aqui é computar essas informações e disponibilizá-las em forma de gráficos ou tabelas para facilitar a leitura e compreensão do que foi extraído das avaliações. Estar com os dados apurados e visualmente acessíveis também auxiliará nas reuniões estratégias em que o RH precisa mostrar seus estudos e comprovar dados.

7. Comunique os resultados e planeje as ações de melhorias

Esse é o momento mais importante de toda avaliação, pois foi para chegar nessa etapa que a pesquisa foi planejada estrategicamente e que a atividade foi realizada. Tenha em mente que os colaboradores precisam ter o retorno da pesquisa de clima e entender quais processos mudarão (ou não) a partir dos resultados apontados por eles.

Afinal, foi para diagnosticar o nível de satisfação dessas pessoas que deu-se início à pesquisa e a partir das contribuições individuais é que ela tornou-se realidade na organização, certo?

Porém, tão importante quanto oferecer esse report é disponibilizar apenas o que realmente pode ser do conhecimento de todos, pois, como você deve se lembrar, os dados são confidenciais e assim devem ser mantidos. Por isso, apresente as informações da maneira mais generalista possível.

Com os dados em mãos, é preciso pensar em melhorias, mostrar quais são os objetivos da empresa a partir dos resultados e elaborar um plano de ação focado em medidas para aumentar o bem-estar no trabalho, melhorar o relacionamento entre os colegas de trabalho e entre líderes e liderados, e outras questões percebidas a partir das respostas apresentadas.

Como a pesquisa de satisfação ajuda a melhorar a gestão de benefícios

Você não deve se esquecer que o principal objetivo de uma pesquisa de satisfação é medir o quanto os colaboradores estão contentes com a empresa e o que a organização pode fazer para aumentar esse nível de satisfação. Afinal, já se sabe que funcionários felizes são bem mais produtivos e engajados com o trabalho.

Nesse sentido, saiba que uma das coisas que mais deixam os colaboradores satisfeitos é a oferta de benefícios realmente vantajosos para eles. Entre as melhores estratégias para identificar essas vantagens está a realização da pesquisa de clima. Pois, a partir dela, surgirão indicações, comentários e sugestões de quem serão os principais beneficiários.

Por isso, escute a sua equipe por meio da pesquisa de satisfação interna, não deixe para ouvi-los quando for tarde demais e faça o melhor proveito para benefício de todos. Porém, lembre-se de colocar em prática os passos essenciais que você conferiu aqui para que a avaliação seja feita com estratégia e resulte em melhorias definitivas.

Gostou das nossas sugestões? Aproveite para compartilhar essas dicas nas suas redes sociais!