Como reduzir custos no RH e na folha de pagamento? Entenda aqui

Como reduzir custos no RH e na folha de pagamento? Entenda aqui

Sabia que os gastos com o quadro de pessoal é o maior para boa parte das empresas? Esse é um dos motivos que fazem com que as organizações precisem reduzir custos no RH e na folha de pagamento. E se você está procurando maneiras de como fazer isso, chegou ao lugar certo!

Desde o processo de recrutamento e seleção até os custos com a jornada de trabalho, selecionamos algumas medidas simples que podem ser adotadas pela sua empresa com foco na redução dos gastos com os colaboradores. Continue a leitura para conferir as sugestões!

Invista em processos seletivos à distância

Você sabia que processos seletivos feitos online podem reduzir em 80% os custos com as etapas de recrutamento e seleção? De acordo com um portal especializado em recrutamento inteligente, esse formato permite reduzir gastos em impressão de papel com formulários e em todos os processos operacionais necessários para a atividade.

Oriente para atentarem-se à jornada de trabalho

Hora extra é algo controverso nas organizações: quando a empresa paga por essas horas, há colaboradores que veem nisso uma possibilidade de ganhar mais dinheiro ficando mais tempo no trabalho.

Já quando há banco de horas e são oferecidas folgas em vez do dinheiro, o custo é menor, porém, também há outro impasse. Dependendo do número de horas acumuladas, o funcionário terá direito a vários dias de folga, e isso pode impactar a produtividade da companhia, o que, certamente, refletirá também nos custos.

Por isso, o ideal é instruir os times para evitarem fazer horas extras quando não for realmente necessário. Além de isso ser um redutor de gastos internos, representa uma forma de estimular a qualidade de vida e manutenção de uma jornada de trabalho saudável.

Tenha atenção ao processo seletivo para não precisar demitir

Assim como a contratação e a manutenção de um funcionário, demissões também saem caro para as organizações. São multas e indenizações rescisórias e todos os demais custos que um acerto trabalhista demanda, mas os gastos não param por aí.

Se, pouco tempo após contratado, a empresa precisa demitir um colaborador e isso acontece com frequência internamente, é porque há algo de errado no processo. Além dos custos com a contratação seguida da demissão, existirá a necessidade de contratar um novo funcionário para ocupar aquele cargo, o que resultará em novos investimentos.

Por isso, é importante ter muita atenção às necessidades de cada cargo, às capacitações do profissional — tanto em qualidades técnicas quanto comportamentais — e, principalmente, ao fit cultural dessa pessoa com a empresa e com a vaga que ela ocupará.

Desenvolva programas de promoção da qualidade de vida e bem-estar

Trabalhar em um ambiente que tem clima organizacional ruim ou lideranças ineficientes são alguns dos principais fatores que mais resultam em pedidos de demissão e no surgimento de doenças mentais no trabalho.

Tanto é que a saúde mental é o terceiro fator de risco que mais aumenta os custos médicos com planos de saúde coletivos, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Informe Global de Tendências Médicas.

Esse é um dos reflexos da falta de políticas que promovam a saúde, qualidade de vida e o bem-estar no trabalho. Além de promover ações nesse sentido, é fundamental treinar os gestores para uma liderança mais humana e inclusiva, pois isso trará resultados positivos internamente, como a redução da rotatividade.

Para finalizar, tenha em mente que investir em medidas para reduzir custos no RH e na folha de pagamento traz benefícios não só para a empresa, como também para os colaboradores, que se beneficiam das melhorias implementadas pela organização e se sentem mais pertencentes ao negócio, se tornando ativos valiosos para essas empresas.

Quer conferir mais dicas como essas? Assine a nossa newsletter e receba tudo no seu e-mail!