Vale-alimentação na pandemia: sua empresa está sendo estratégica?

Vale-alimentação na pandemia: sua empresa está sendo estratégica?

A crise de escala global causada pela disseminação do Coronavírus forçou grande parte das empresas a adaptarem suas atividades para o home office. Diante desse cenário, é normal ter dúvidas sobre o vale-alimentação na pandemia.

As empresas estão procurando maneiras de economizar e conter os gastos durante a crise, entretanto, o corte nos benefícios dos colaboradores pode não ser a melhor solução. É preciso encontrar maneiras de mantê-los motivados e engajados, pois as mudanças no ambiente de trabalho prejudicam a produtividade e alteram a concentração.

Neste artigo, vamos ver se o vale-alimentação deve ser mantido durante o home office e qual é a diferença dele para o vale-refeição. Além disso, mostrarei como ele pode ser usado de forma estratégica para a empresa. Continue a leitura!

O vale alimentação deve ser mantido durante o home office?

A principal dúvida sobre o vale-alimentação na pandemia é se ele pode ser cortado em caso de home office. A decisão, no entanto, depende da organização e do acordo feito no momento da contratação do colaborador, sendo possível diferentes interpretações.

Quando a empresa e os empregados determinaram um acordo de trabalho no qual, mesmo em situações de afastamento do empregado, ele permanece recebendo seus benefícios, então ele continuará valendo durante a crise do coronavírus, esteja o profissional em licença remunerada ou trabalhando em home office.

No entanto, quando esse acordo não foi estabelecido entre as partes na hora da contratação, o empregador não tem a obrigatoriedade de pagar os benefícios relacionados aos alimentos e refeições.

Ainda que o pagamento não seja obrigatório, é interessante que as empresas continuem oferecendo esses benefícios para os funcionários, pois não há distinção entre o trabalho presencial e o remoto.

A situação é diferente quando falamos do vale-transporte, uma vez que o profissional não está se locomovendo até o trabalho e vice-versa. Já a alimentação continua sendo uma necessidade do colaborador, que precisa desses mantimentos tanto no trabalho presencial, quanto no remoto.

Qual a diferença entre vale-refeição e vale-alimentação?

Devemos ressaltar que o vale-refeição e o vale-alimentação não são sinônimos, sendo que cada um tem destinações diferentes. As duas opções são benefícios importantes para o colaborador, que a empresa pode oferecer.

O vale-alimentação consiste em um valor entregue mensalmente para o colaborador, que será utilizado por ele de forma livre. Ele é aceito em supermercados, mercearias, padarias, entre outros estabelecimentos que vendem ingredientes e alimentos.

O vale-refeição também é um valor pago mensalmente para o profissional. Entretanto, o objetivo dele é custear a compra de refeições prontas. Ele é aceito em locais como restaurantes, lanchonetes, cantinas, entre outros estabelecimentos. Desse modo, não é permitido usá-lo para adquirir alimentos.

Como o vale-alimentação na pandemia pode ser benéfico para a empresa?

Mesmo não sendo obrigatório neste momento, esse benefício pode ser usado de forma estratégica pelas empresas. Veja quais vantagens ele oferece!

Mantém os colaboradores motivados

A motivação dos colaboradores envolve diversos aspectos, como reconhecimento, recompensa e um clima organizacional de qualidade. Os profissionais tendem a entregar mais comprometimento e engajamento quando a organização trabalha de forma humana, se preocupando com qualidade de vida do colaborador.

O vale-alimentação é um dos benefícios que mais contribui nesse sentido. Isso porque o colaborador reconhece que a organização valoriza o seu trabalho. Em um momento tão complicado, como esse causado pela pandemia, essa é uma demonstração ainda mais clara do valor que o profissional tem para a empresa.

Aumenta a retenção de talentos

A retenção de talentos é muito importante para a empresa, sendo que seus índices são diretamente afetados pelos benefícios oferecidos aos profissionais. Quando a organização encontra um colaborador eficiente, produtivo e qualificado, deseja que ele se mantenha no seu quadro de funcionários.

Ao entregar benefícios, a empresa demonstra que se preocupa com o bem-estar dos colaboradores e que está disposta a ajudá-los a crescer na carreira. Desse modo, ela diminui a insatisfação profissional e reduz a possibilidade de que ele busque outro emprego.

Potencializa a atração de talentos

Profissionais de qualidade não estão disponíveis a todo momento e as organizações se esforçam para atrair os melhores para suas vagas. Em uma disputa entre empresas, os candidatos costumam preferir aquelas que oferecem reconhecimento, boa remuneração e benefícios atraentes.

Esses aspectos ajudam a melhorar a qualidade de vida e tornam determinada vaga um alvo. Como esse benefício não é obrigatório, ele é visto como um diferencial relevante pelos profissionais, contribuindo diretamente para a atração de talentos.

Humaniza a marca

Em um momento que muitas pessoas estão precisando de ajuda e que exemplos de solidariedade se multiplicam, manter essa “remuneração” é uma forma de humanizar a gestão do negócio. Ainda que em casa, os profissionais estão ligados à empresa, sendo importante que ela se preocupe com a saúde mental, física e emocional dos colaboradores.

O corte nos benefícios pode trazer dificuldades para os profissionais, que precisam lidar com diferentes desafios em meio a pandemia. Por isso, a empresa deve se posicionar de maneira colaborativa, pensando no bem-estar geral de seus funcionários.

Contribui na redução de carga tributária

Os recursos destinados para abastecer os cartões de vale-alimentação são livres de tributações fiscais. Além disso, o Programa de Alimentação dos Trabalhadores (PAT), do Governo Federal, regulamentado em 1991, concede incentivo fiscal para as empresas que oferecem esse benefício, sendo possível reduzir em até 4% os custos com impostos.

Se a empresa for optante do Simples Nacional, ainda tem direito à isenção dos encargos sociais (FGTS e INSS) nos valores líquidos do benefício. É importante lembrar que o valor investido por cada colaborador deve seguir algumas regras, respeitando a legislação.

Neste artigo, vimos como o vale-alimentação na pandemia pode ser usado de forma estratégica para a sua empresa. Por isso, você pode utilizar a Eucard como uma parceira para a gestão de benefícios do seu negócio. Desse modo, o controle do benefício será facilitado, trazendo mais tranquilidade para o RH do seu negócio e aumentando a motivação dos colaboradores.

Gostou deste conteúdo? Quer saber de maneira detalhada como a Eucard contribui na gestão de benefícios? Entre em contato e tire todas as suas dúvidas!